‘Vamos brigar pelo acesso e não vejo o Inter garantido na Série A’, afirma Roberto Cavalo

Treinador do Oeste se diz otimista com montagem do Oeste e que as quatro vagas estão abertas

Foto: Divulgação

Perto de estrear na Série B do Campeonato Brasileiro, o técnico Roberto Cavalo tem feito os ajustes finais da equipe que entrará em campo no sábado (13), às 21h, contra o Paysandu e é enfático. O Rubrão não disputará a parte debaixo da tabela. "Queremos o acesso e com o título melhor ainda", afirmou ao Torcedor S/A.

Para o treinador, a competição está aberta e nem mesmo o gigante Internacional tem a vaga garantida. "Todo mundo diz que o Inter já tem sua vaga, eu vejo que não. Vai ter uma série de dificuldades"

O tom otimista contrasta com as últimas temporadas do clube. A equipe brigou até a penúltima rodada para garantir a permanência na Série A2 do Campeonato Paulista e, em 2016, escapou da queda no Brasileiro na última rodada, quando o elenco e a comissão técnica eram do Audax.

No entanto, a expectativa mudou. Cavalo assumiu o time na quinta rodada do Paulista e recebeu  dez reforços que chegaram para a disputa do Brasileiro. 

Nesta entrevista, o treinador fala sobre o desafio de melhorar o desempenho do clube na Arena Barueri, da expectativa com o começo da competição e sobre as lições que ficaram da difícil campanha na segunda divisão do Paulista.

Como está a preparação para a Série B, após o Paulista? Tivemos um campeonato muito equilibrado que foi a A2 do Paulista e nosso objetivo era não cair e conseguimos. Na Série B é um campeonato mais forte, mais disputado, de um nível muito alto. Contratamos vários jogadores, reforçamos bem nosso plantel. Ficamos com uma base boa, que vem jogando e está preparada. No decorrer da Série B, vamos buscar mais alguns reforços. O plantel não está fechado.

A Série B tem favorito? Todo mundo diz que o Inter já tem sua vaga, eu vejo que não, até pelo tropeço que teve no Campeonato Gaúcho [na final com o Novo Hamburgo], e vai ter uma série de dificuldades. O costume da Série B é diferente para quem vai a primeira vez. Então tem quatro vagas abertas, estamos num caminho certo em termos de trabalho, o plantel está sendo bem montado e vai ser formado para a competição.

Qual a importância das primeiras rodadas para a campanha? ​Temos que fazer um grande jogo no sábado (13), depois o Criciúma em casa, e o Boa Esporte fora, e o CRB em casa. São quatro jogos que a gente já sabe que é de equilíbrio, tem que estar preparado, sei que não vamos estar ainda entrosados, mas vamos buscar no dia a dia.

Qual lição ficou da Série A2 para o campeonato? Ficou que foi feito um time no papel que era realmente respeitável, com grandes nomes, mas que não fluiu dentro de campo. Um jogador pode não ser tão conhecido, mas quer vencer na vida. Tem alguns assim nesse nosso plantel, são desconhecidos e têm feito bons trabalhos, brigando pela titularidade, e alguns que tinham nome e foram embora. Alguns diferenciados como Mazinho e Robert, o goleiro Rodolfo ficaram, tem ajudado o Oeste.

O time conseguiu poucos resultados positivos na Arena Barueri. O que pode ser feito para ter um desempenho melhor em casa? Começar bem, buscar um resultado bom contra o Paysandu e ganhar do Criciúma. Agora a Arena preocupou às vezes. Fica muita gente, não vou dizer superstição, mas por ser um dos melhores estádios do Brasil, todo o adversário acha isso lindo e se empolga. Os adversários se sentem bem, em casa, porque ainda não temos uma torcida aguerrida e forte. Temos que mudar isso, pressionar dentro de casa, fazer já um jogo muito forte contra o Criciúma, fazer a vitória que aí automaticamente nosso jogador vai produzir mais.

A defesa era a principal preocupação? Sim. Tanto que trouxemos o Leandro Amaro, o Wilson, o André como zagueiros para fazer a dupla com Garuti e Luiz, só ficamos com dois zagueiros da A2 para cá. Contratamos mais três zagueiros que com certeza vão corresponder. E tínhamos uma preocupação no sistema defensivo, porque a Série B é um campeonato muito longo que exige uma marcação mais adequada, e vai ter problema de cartão, lesão.

O time brigou para não cair no Paulista. Não há risco da equipe brigar novamente para não cair? Com certeza não. Não pensamos jamais para o meio para baixo da tabela, sempre na parte de cima e começando bem contra o Paysandu, sem dúvida. Queremos o acesso, com o título melhor ainda. Agora temos que respeitar que o Inter vai vir na competição, mas com certeza o acesso vamos brigar por ele. 

Já é registrado? Acesse sua conta.

Deixe o seu comentário

Quinta, 19 Outubro 2017
 
Sem comentários ainda