Vôlei Nestlé Osasco acerta com reforços para substituir Tandara e Bia no Paulista

Jogadoras estão com a seleção brasileira; Enéia e Natasha jogarão em estadual previsto para segunda quinzena de agosto

Foto: João Pires/Fotojump

O Vôlei Nestlé Osasco oficializou mais dois reforços para a sequência da temporada. A central Ednéia e a ponteira Natasha. A dupla chega para a disputa do Campeonato Paulista, que tem início previsto para a segunda quinzena de agosto, e ajudará a equipe a suprir as ausências de Tandara e Bia.

Ambas servirão a Seleção Brasileira nas finais do Grand Prix. As atletas já estão integradas e treinando no ginásio José Liberatti. O time passou por uma reformulação e deve ter várias mudanças na próxima temporada, além das ausências de Camila Brait e Dani Lins, que estarão ausentes por questões de gravidez.

Além dos dois reforços, Osasco contratou a levantadora Fabíola, a ponteira Mari Paraíba, a central Ju Mello e a oposta Lorenne e renovou os contratos das centrais Bia e Nati Martins, das ponteiras Tandara e Bruna Neri, da oposta Paula Borgo, das levantadoras Carol Albuquerque e Zeni e da líbero Tássia. Gabi, Saraelen e as sérivas Malesevic e Bjelica, deixaram o time.

A carioca Natasha chega ao Vôlei Nestlé após defender o Fluminense na temporada passada. "Não pensei duas vezes em aceitar o convite. É uma honra estar aqui em Osasco e vestir a camisa da Nestlé. Minhas expectativas são as melhor possíveis e vou me dedicar ao máximo para ajudar o time a conquistar o Campeonato Paulista", afirma a ponteira de 27 anos.

Natasha já atuou no vôlei paulista pelo Pinheiros. Ela começou a jogar nas areias do Rio de Janeiro aos 9 anos de idade, na escolinha de vôlei de praia de Letícia Pessoa (técnica de Adriana Behar e Shelda na conquista das duas medalhas olímpicas da dupla). Migrou para quadra aos 12 anos. Com a mudança dos pais para Brasília, entrou para o time do Força Olímpica.

"Minha primeira Superliga foi pelo Banespa, ainda como juvenil. Depois voltei para a praia. Meus pais retornaram para o Rio e, como saí de casa muito nova, senti vontade de morar com eles. Após 4 anos na areia, retornei para a quadra", conta a ponta.

Ednéia é natural de Carapicuíba e se sente em casa em Osasco. Ela participou de um torneio estudantil, em 1992, parte dos eventos de inauguração do ginásio José Liberatti. Depois, em 2010, já como atleta profissional, com os títulos da Superliga e Sul-Americano pelo Sollys Nestlé.

"São os grandes momentos da minha carreira, juntamente com a medalha de prata no mundial de clubes, também pelo Osasco", conta ela, que também tem uma longa ligação com a Nestlé, pois iniciou a carreira no time do Leite Moça, em Sorocaba, aos 16 anos.

Recentemente, Ednéia teve a primeira experiência internacional ao jogar na Indonésia, pelo Manokwari em 2015. Na temporada passada, competiu pelo Praia Clube.

Já é registrado? Acesse sua conta.

Deixe o seu comentário

Terça, 22 Agosto 2017
 
Sem comentários ainda